Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2009

Vendedora Ambulante de Magalhães

Para quem não sabe, sou: - pequena, - miúda, - tenho um ar infantil, - brincadeiras infantis, - cara de criança, - visto roupas da secção de criança, e muitas vezes, fico a "nadar" naquela que está marcada para 16 anos. Uma coisa é ser pequena e ter um ar de "quem não parte um prato" (ahahahah em vez de escrever "não parte um prato", escrevi "não prate um parto". Desculpem, mais uma vez, o desabafo.), outra coisa é suceder-se aquilo que me aconteceu ontem. Ontem fui ao Centro de Saúde. Para além de me estarem sempre a interromper na consulta, facto que me irritou bastante, reduziram-me a Idade de Infantário. Aquilo ontem não correu nada bem. Chamaram, supostamente por mim, e digo supostamente porque o altifalante anunciou roufenhamente que uma tal de "Maria José" iria ter consulta. Alguém que não eu, portanto. Lá fui, supondo que era eu, visto que, o resto do nome estava certo e ninguém daqueles que estavam à espera se mexeu, para a dita consul…

Resposta ao Eduardo:

Um dia, depois de morta (é o que acontece sempre neste país), as pessoas irão ver e reconhecer a minha genialidade.

Terei o meu próprio feriado nacional, paradas militares em minha honra e receberei um Prémio relacionado com a minha Genialidade.
Terei o Goucha e a Fátima a fazerem um programa durante todo um dia dedicado a esta grande personalidade que eu fui. Falarão da minha grande importância para o país que, devido a mim, ficou reconhecido internacionalmente.

As minhas teorias e Lógicas, como a da Banana ser irmã da Batata, ficarão provadas científicamente por Biólogos altamente respeitados na Comunidade Científica.

Serei realizada.

E depois disto tudo,


acordarei.

xD

passar bem.

1,2,3 FLUSH!

Imagem
Sou desastrada.

Nada que já não tenha dado para perceber pelo pequeno número de posts que aqui escrevi.
É relevante afirmar que o que aqui escrevo trata-se de 1/1000000 de todos os desastres que me acontecem.

No outro dia, quando falava da pequena vingança da Banana, referi um pequeno incidente que me acontece constantemente, sendo, o piqueno, um grande e íntimo amigo meu: Quando como iogurte, ponho o copo do dito para lavar e a colher no lixo.

Bom, repito-me, porque basicamente agora mudei de técnica.
Ontem, depois da hora do banho ( sim, as Batatas tomam banho. A terra que vocês veêm trata-se apenas de tratamentos de beleza à base de argila), decidi ir depositar a minha roupa interior no cesto apropriado para a dita.

Dirijo-me à casa de banho, abro a tampa da sanita e roupa lá para dentro.
Água já tinha, o que eu devia estar à espera era que houvesse algum local para por o detergente e algum botão para a sanita começar a fazer a centrifugação (seria o autoclismo).
Mas, graças à Santa Minhoc…

Banana's Revenge

Tenho um problema com as horas do lanche.

É verdade.
Acontece sempre alguma coisa:
-Caso coma iogurte: Copo do iogurte na máquina de lavar, colher no lixo;
-Caso coma cereais: Catapulta de cereais e leite para a camisola - nojento;
-Caso coma torradas: espeto a faca nas resistências da torradeira e mando o quadro eléctrico aos ares (defeco-me toda do susto, de cada vez que isso acontece);

Quando não é ao nível alimentar, é ao nível do vestuário, dos acessórios (brincos que caem para dentro da nhanha que eu esteja a comer), da cadeira onde estou sentada (nunca me sento como deve de ser e vou arrancando as costuras à almofada da cadeira. - já foi substituída, por uma de tampo duro. É bem feita. São mais estéticas, though)... Enfim. Sou um desastre.

Eu não como bananas.
Não é por não gostar, é por, simplesmente, não me lembrar de as comer, havendo sempre algo mais interessante.
Mas quando como, têm de ser fresquinhas do frigorífico, senão ficam demasiado doces e moles... e... não interessa. Bana…

Lógica da Batata#1 - "Os Buracos"

E aqui vai a primeira Lógica da Batata.

Tem a ver com buracos.

Sim. Buracos.

Estava eu um dia a passear com um amigo quando ele me disse:
"-O Urbino, o cachopo, fez um furo na orelha que ia da ponta esquerda do lóbulo até à ponta direita (não acreditem, por favor, que utilizamos estes termos...)." - e eu fiquei intrigada, pelo que respondi algo como:
"-Na podi! Ele fez foi dois furos! Um de cada lado do lóbulo e pôs uma dessas modernices chamada pircinguis a entrar de um lado e a sair do outro!"
Ao que ele responde:
"-Ó totó (esta ofendeu-me bastante, devo confessar), não vês que é só um furo??"

Eu estava a ficar mesmo confusa.
É que eu sou um bocado lerda (está assumido, o que querem que faça mais?) e quando não percebo algo, o meu cérebro dá simplesmente um nó. Fico sem conseguir pensar e todo o meu ser entra em parafuso, literalmente. Imagino cada neurónio meu a fazer um tornadozinho como o Taz da Tasmânia, os meus olhos a ficarem com espiraizinhas e sirenes a …

O Eça de Queirós era um tipo engraçado#3 "Os Estrangeirismos"

De volta. Continuo a saga de "O Eça de Queirós era um tipo Engraçado". Fui, finalmente, ler. Deparo-me com alguns requintes literários naquele livro que me fizeram rir à gargalhada ao imaginar certas e determinadas situações. Desconfiado? Eu também ficaria se me dissessem tal coisa, mas, descobri que Eça de Queirós era um senhor com um imenso sentido de humor. Era o que se pode chamar, um tipo com piada! Leio eu Os Maias quando me deparo, "several times", com coisas deste género, ou seja, a utilização do inglês e do francês em coisas perfeitamente banais, que deixam uma pessoa a olhar para o livro e a perguntar: "Quéstamerda, pa?" (e reparem que eu não disse nenhuma asneira, porque se "Questamerda" fosse uma asneira, "Computador" também o seria). Um desses "estrangeirismos" que me abala o ser profundamente é o, e passo a citar, num exemplo: "... e agradeceu o acompanhamento ao Cruges num silencioso shake hands." -» "S…

O Eça de Queirós era um tipo engraçado#2 "O desabafo da Batata - Batata traída pelo Robe"

Ía eu, então, ler o bendito livro.

Mas primeiro precisava de ir lanchar (ou terá sido a meio da leitura??). Não interessa. Fui lanchar.

Fui lanchar de robe.
Preparei tudo em condições, em bicos dos pés porque a cozinha estava molhada, fazendo questão de não deixar qualquer vestígio da minha presença, mas faltava-me a colher!

Faltava a colher!!!!

Veêm o drama. (a colher!!!!!)
Voltei atrás (em bicos dos pés e carregadíssima com uma taça; a caixa do Nestum - sim, Nestum...de chocolate- e iogurte líquido - sim, faço misturas estranhas. Sim, Nestum no iogurte líquido é bom), abri a gaveta, retiro a colherzinha, fecho a gaveta e fico feliz por ter superado esta prova.

Objectivo: Ir sentar o "sim-senhor" no sofá (neste caso, não era o meu sofá, era o da comunidade, da sala, portanto), enquanto lanchava e cuscava um pouco da Programação Dominical.

Viro-me, feliz (é mais fácil imaginar o sucedido quando visto em câmera lenta com música romântica de fundo), sorriso de orelha a orelha, quando.…

O Eça de Queirós era um tipo engraçado#1 "O desabafo da Batata - Batata governa o Mundo"

Escrevi eu o meu último post há umas horas, quando, para não ir estudar, fui ler Os Maias, qual ser aplicado nas lides escolares, que precisa de estar informado sobre tal livro.

O pior e que estava com um briol do caneco e decidi equipar-me: Fui buscar um gorro bem quente que decidi puxar até ao pescoço; um cachecol, dando a maior quantidade de voltas ao pescoço que consegui, de forma a ficar bem quentinha; vesti o meu companheiro robe, apertando-o contra a barriga o mais que pude e, para rematar, umas luvinhas.
Sentei-me em frente à minha placa de aquecimento, no meu sofázinho do quarto, com o meu candeeiro de pé do IKEA (facto relevante) para dar inicio à minha sessãozinha de leitura.

Há que reparar que, pelo facto de eu ser um tubérculo sem qualquer valores morais, necessito afirmar, que, apesar de não ter raízes, tenho um robe, uma placa de aquecimento, um sofázinho e um candeeiro de pé, imagine-se, do IKEA!! ah! e uma sessão de leitura!! ah pois!
Vá-se lá saber porquê, mas estes ite…

O Bocejo

Coisa simpática, o bocejo.

Dás por ti a abrir a boca como quem não quer a coisa, alivias a situação de sono induzida, talvez, por uma aula enfadonha de Físico-Química e, por fim, choras como se não houvesse amanhã. O processo começa por ficares com os olhos marejados de lágrimas, culminando com a certeza de que tens ainda mais sono do que aquele que tinhas antes de bocejares.

O bocejo tem a particularidade de ser um fenómeno à escala mundial.
Imaginemos que algures na Austrália, um surfista de tez morena, cabelos loiros queimados pelo sol, belos abdominais... ok, não é relevante para o caso, sou só eu a divagar. Mas, voltando ao surfista da Austrália (aquele de tez morena, cabelo loiro...aham)... Está o moço a voltar do mar, prancha debaixo do braço, arrancando suspiros às cachopas, quando uma jeitosa deitada na sua espreguiçadeira boceja, inocentemente. O surfista, de seu nome, Jason Zetó, ao olhar "distraidamente" para a moça, é apanhado nesta rede criminosa e maléfica, boceja…

Pronta para andar à batatada

BATATA


"Batata, semilha ou marmêndoa (Solanum tuberosum) é um tubérculo perene pertencente à família das Solanaceae (Solanáceas em português)." - definição da Wikipédia.

1)A minha definição?Palavra que, simultaneamente, é engraçada e não comporta qualquer sentido preverso... Tarefa extremamente complicada para os dias que correm.

2)Porquê o nome "A Lógica da Batata" para o blog?
Basicamente tudo o que gira à volta de piadas secas (mesmo muuuuito secas), pensamentos pioneiros na mente humana (pelo menos é o que eu acho, até que alguém me diz que a piada/pensamento/teoria que eu elaborei, já tinha servido para tardes inteiras de galhofa entre Aristóteles, Sócrates e até Platão e os seus amigos... se é que eles tinham amigos... Não. Definitivamente pessoas como eles não mereciam amigos), teorias "totós" (ora aqui está outra palavra engraçada) e outras "batatices" sem nexo, estão intrínsecas à minha pessoa e achei por bem matar pontos de Q.I* à blogosfe…