Delícias são Torturas/ Alice Figueiredo no País das Maravilhas

Boa tarde, Hortinha :)

Não sei se ouviram, mas hoje no Largo Camões a conhecida marca de gelados Ben & Jerry's está a dar geladinhos. Sim, isso mesmo! A dar, a oferecer, geladinhos grátis, à pala, e por aí fora. Ora, sai a Batata das aulinhas e contente por entrar finalmente de "férias", e decide passar por lá para encher a pancinha. Afinal, também tenho direito. 
Depois de uma longa caminhada (sim, porque o Batato resolveu perder o passe e fomos a pé desde a Faculdade até ao Camões) e com a barriga a dar horas, chegámos ao nosso destino. Aquilo está mesmo "grande e à americana" com direito a tapetes de relva a forrar cerca de metade do largo (que são baratinhos como se sabe), a vacas de papel e a carros movidos a pedal. Chegados lá, esperámos ansiosamente um sinal de que estivessem, de facto, a oferecer gelados, mas tudo o que víamos eram balões. Constatámos que tínhamos chegado cedo demais, mas a vontade de gelados já se tinha instalado e, portanto, lá foram os Batatos até aos Armazéns do Chiado desfrutar de uma geladoca da Olá. Entretanto ainda deu para apreciar a figura dos aspirantes a VJ da MTV que por lá faziam o seu casting (e também deu para apreciar a figura - uhuu - do belo Dioguinho dos Klepht).
Depois de deixar o Batato seguir viagem, qual não é o meu espanto quando me cruzo com imensas pessoas de geladinho na mão a fazer inveja ao pobre. Lá pensei para mim: "ai agora que já tenho o bandulho cheio é que andam por aí a oferecer?" Já não me apetecia e não ia esperar até casa para o comer, visto que nessa altura já não precisaria da colher para nada. (E normalmente gosto de comer gelados e não de os beber...)
Com toda esta indignação, decido dar uma olhada às tendências para este Verão. Entro naquela loja que toda a gente gosta de chamar "Puxar e Cerveja", mas que, na verdade, se chama "Puxar e Urso" (o que tem muito mais sentido, obviamente) e sufoco ligeiramente. Sou daquelas pessoas que tem as gavetas a abarrotar, mas não me importava nada de as encher com as coisinhas daquela loja. A colecção está tão fixolas! Definitivamente é A loja a não frequentar por agora... A conta está em níveis considerados preocupantes (chama-se aumento de 20 euros mensais no passe, não é CP?).
No caminho até à estação do Rossio, passo pela Livraria da Leya e compro um livro, claro está (pus de parte as calcinhas na loja, para não gastar dinheiro, e gasto a mesma quantia num livro. Mas gastar dinheiro em livros não é realmente gastar dinheiro, não é?) Já andava há uns tempos a pensar em comprar qualquer coisa deste autor e, durante a viagem até aos subúrbios, vim a pôr a leitura em dia. Até agora nada mal. Chama-se "O Espião Improvável" de Daniel Silva e trata intrigas ocorridas durante Segunda Guerra Mundial. É um daqueles livros que mistura ficção com factos históricos e quer-me parecer que o enredo é de qualidade.

Falando de outras coisas:
No outro dia acabei de ver o último episódio da segunda temporada de Pretty Little Liars e aquilo está quente, quente, quente! E agora só sai em Junho. Hum.. que conveniente... mesmo no mês dos exames finais. Há que ser forte, Maria Batata!
Por agora, põe-se em dia Sobrenatural e vê-se ocasionalmente Once Upon a Time (quando sai, entenda-se :P). Agora há que aproveitar estas mini, mini férias para dormir muito e estudar bastante, que bem preciso!

Agora vamos à parte triste:
Alice Figueiredo, heterónimo da Minha Melhor Batata, vai para longe de mim. É verdade, depois de tantos anos aqui ao lado, a dois passinhos, vai morar para onde o Judas perdeu as Botas. Vou mesmo sentir a tua falta, Alicinha... Tanto assim é que as minhas aulas de hoje foram a rever mentalmente os momentos que passámos juntas (as idas à loja de gomas, a dança, o ATL, as intermináveis aulas de código!, as nossas cantorias e sangrias! no chão da minha sala, as manhãs à espera da camioneta para ir à praia... Oh). Desejo-te a maior sorte do mundo, fofa. Que sejas muito feliz no País das Maravilhas, na tua Toca nova, linda e airosa como é. E como diríamos aqui há uns anos valentes, MMM 4 ever. <3

E assim acabo a escrita de hoje. Já estou cheia de lágrimas e fungadelas e, portanto, já não me sinto nada atraente a escrever. O ranho a escorrer e a entupir as fossas nasais dão-me, decerto, um ar exótico, mas tira-me a inspiração toda.

 Batatinhas*


Só espero que continues tão senil como sempre, para podermos continuar a ser a mesma pessoa em corpos diferentes. Boa sorte, Pirilampo.

Comentários

  1. Oh mon amour! Eu também te amo :D e longe do cu, perto da mente v.v A nossa awesomeness atrai-nos demasiado para que nos possamos alguma vez separar. Serei sempre a tia Júlia v.v hehe ;)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Words don’t come easily

A minha pachacha caiu dentro da sanita. E não o fez com glamour.

(Tentando) Crescer e aprender.